0 Carrinho
R$54,90
Comprar
R$32,90

sobre o livro

Em 1963, Annie Ernaux, então uma estudante de 23 anos, engravida do namorado que acabara de conhecer. Sem poder contar com o apoio dele ou da própria família numa época em que o aborto era ilegal na França, ela vive praticamente sozinha o acontecimento que tenta destrinchar neste livro quarenta anos depois, quando já é uma das principais escritoras de seu país.

Com a ajuda de entradas de seu diário e de memórias há muito guardadas, Ernaux reconstrói seu périplo solitário para realizar um aborto clandestino. Ao refletir sobre a onipresença da lei e seu imperativo sobre o corpo feminino, Ernaux nos apresenta mais uma face da mescla indissociável do íntimo e do coletivo tão característica de todo o seu percurso literário. Quando por fim encontra uma “fazedora de anjos” disposta a realizar o serviço, a jovem acaba na ala de emergência de um hospital. Anos se passam sem que ela tenha coragem de revisitar o episódio. Em sua relação radical com a escrita, porém, Ernaux encontra o caminho para falar publicamente de seu aborto e fazer da literatura uma profissão de fé, que comove pela honestidade cortante: “o verdadeiro objetivo da minha vida talvez seja apenas este: que meu corpo, minhas sensações e meus pensamentos se tornem escrita, isto é, algo inteligível e geral, minha existência completamente dissolvida na cabeça e na vida dos outros”.
Título
O acontecimento
título original
L’ÉVÉNEMENT
tradução
ISADORA DE ARAÚJO PONTES
capa
BLOCO GRÁFICO
páginas
80
Formato
13,5 x 20
ISBN
978-65-89733-55-3
ISBN Digital
978-65-89733-03-4
Data da publicação
23/02/2022

Destaques

“Ernaux (…) escreve com uma precisão clara e controlada, tão viva quanto devastadora de ler, e que liga a dor e a indignidade da sua experiência à classe, ao poder e ao patriarcado.” – The Observer

“Universal, primordial e corajoso, O acontecimento é uma obra — tanto de arte como de experiência humana — desarticuladora e profundamente relevante. Deveria ser leitura obrigatória.” – Financial Times

“Catálogos meticulosos de anseios, humilhação, ansiedade de classe e angústia, os livros de Ernaux são pouco generosos nos detalhes e impiedosos no tom. Em contraste com as de tantos dos seus pares confessionais, suas táticas de choque são regidas por princípios, impulsionadas menos pelo narcisismo ou pela necessidade de autojustificação do que por um impulso mais elevado: um desejo de capturar o passado tal como ele era, não distorcido por memórias defeituosas, julgamentos morais ou floreios literários decorativos.” – New York Times Book Review

Notícias relacionadas
Navegando no site, estes cookies coletarão dados pessoais indiretos. Para saber mais, leia nossa política de privacidade.