0 Carrinho
R$109,90
Comprar em
pré-venda
Lançamento
16/04/2024

sobre o livro

Em sua luta pela liberdade, duas presidiárias se convertem em gladiadoras mortíferas em um programa de reabilitação sensacionalista e desumano, não muito distante do próprio sistema carcerário norte-americano.

Em um futuro distópico não muito distante dos nossos tempos, Loretta Thurwar e Hamara “Furacão Staxxx” Stacker são as estrelas de Superstars da Cadeia, o pilar do Programa de Entretenimento da Justiça Criminal (PEJC), um reality show altamente popular, controverso e lucrativo da indústria prisional privada dos Estados Unidos. Na sangrenta competição, reminiscente dos coliseus romanos, os personagens são prisioneiros e, ao serem derrotados, só lhes resta a morte.

Este livro, primeiro romance do premiado multiartista norte-americano Nana Kwame Adjei-Brenyah, é o reflexo de uma sociedade voyeur e autocentrada, que não se furta a apreciar o mais alto grau de violência em busca do prazer momentâneo. Vistos como párias, os presidiários, em sua maioria absoluta negros e pobres, tornam-se meros marionetes em nome do entretenimento de quem os assiste e da ganância dos poderosos.

No PEJC, as competições mortais em arenas lotadas só têm um vencedor. Depois de três anos, quem consegue sobreviver ganha a liberdade e a extinção completa da pena. Thurwar e Staxxx, companheiras de equipe e amantes, são as favoritas do público. Prestes a atingir a categoria “Grã-Colossal” — mais alto grau na escala de lutadores —, Thurwar estará livre em apenas algumas lutas, fato que carrega de forma tão pesada quanto seu martelo letal. Enquanto se prepara para deixar o cárcere, tenta preservar sua humanidade desafiando as regras dos jogos, mesmo que os obstáculos no caminho de Thurwar tenham consequências devastadoras.

Em Os Superstars da Cadeia, Brenyah nos nocauteia com uma visão caleidoscópica e incisiva sobre a aliança profana do sistema prisional norte-americano com o racismo sistêmico, o capitalismo desenfreado e o encarceramento em massa. É um claro acerto de contas com o que a liberdade realmente significa naquele país.

Título
Os Superstars da Cadeia
Título Original
Chain-Gang All-Stars
Tradução
Rogerio Galindo
CAPA
Danilo de Paulo | mercurio.studio
Formato
13,5 x 20 cm
PÁGINAS
472
ISBN
9786560000094

DESTAQUE

“Inventivo e instigante… Engenhoso… Tão ousado e alucinante que você não tem a menor ideia de onde vai levá-lo.” — Bernardine Evaristo, The Guardian

“O livro é muito bom. Tema brutal, bela escrita. Esse é do fundo do coração.” — Stephen King

“Um dos jovens escritores mais instigantes dos Estados Unidos. Seu trabalho é urgente, envolvente, extremamente divertido, formalmente ousado e politicamente eletrizante. Leia uma página, qualquer página, e você verá o que quero dizer.” — George Saunders

“[Adjei-Brenyah] faz parte da lista dos grandes novos escritores americanos.” — Chicago Tribune

“Assim como 1984, de Orwell, e O conto da Aia, de Atwood, o livro de Adjei-Brenyah apresenta uma visão distópica tão perturbadora e esclarecedora que deve mudar de maneira permanente a compreensão de quem somos e do que somos capazes de fazer… Os Superstars da Cadeia é tão cru, trágico e primitivo que, apesar dos elementos futuristas, tem a pátina de um épico desgastado pelo tempo… Surpreendentemente íntimo e comovente.” — Washington Post

“Épico… Intoxicante… Que essa premissa pareça inquietantemente plausível no final do romance é uma prova do talento idiossincrático de Adjei-Brenyah como satirista.” —The Atlantic

“Vividamente imaginativo e surpreendente em sua clareza de intenção… Uma espécie de Jogos Vorazes encontra Gladiador, WWE e o sistema prisional privado.” — Elle