0 Carrinho
R$44,90
Comprar

sobre o livro

Os poemas exaltam e se inserem nesse coro formado por todos os cantores e cantoras que nos permitem viver outras vidas. Aqui, a voz do poeta se entretece às melodias — conhecidas e desconhecidas, implícitas e explícitas — de Enheduana a Safo, de Clementina a Belchior e Cartola, do Nirvana a seus parceiros do grupo Pecora Loca, dedicado a traduzir e performar poesia antiga, e, com uma declaração de amor às vozes que cantam — e ao que as vozes cantam —, nos faz lembrar das mais remotas origens desse cantar que é o poema. Aliás, não é por acaso que esses poemas foram escritos por um poeta que é também um dos mais prolíficos e talentosos tradutores da atualidade: o que é um tradutor senão alguém que consegue ouvir o canto de outras línguas e o faz cantar na nossa? Enfim, se é verdade, como cantou o poeta baiano, que voz e vida não se separam, podemos dizer que Gontijo Flores faz versos para que nossos ouvidos se abram para toda a vida que canta ao nosso redor e dentro de nós. E mais ainda: para que soltemos a voz.  
Título
Ranho e sanha
Formato
13,5 x 20 cm
Páginas
32
ISBN
978-65-84574-95-3
Data da publicação
10/06/2023

Trecho

Vinheta

Antes de tudo um tímpano ressoa.
Ele está dentro da garganta.

Entre pele e mucosa
aquilo grita

por tanta coisa dita
a carne também

pausa
canta

vive entre
ranho e sanha.

Navegando no site, estes cookies coletarão dados pessoais indiretos. Para saber mais, leia nossa política de privacidade.